Plataforma da Apple ajuda a detectar casos suspeitos de coronavírus

Facebook trará novos recursos para as transmissões ao vivo
27 de março de 2020
Os Novos Mutantes: Filme pode chegar aos cinemas ainda este ano
27 de março de 2020

Plataforma da Apple ajuda a detectar casos suspeitos de coronavírus

A partir de teste, ferramenta orienta usuários a procurarem ajuda médica ou recorrerem ao isolamento social

Apple lançou nesta sexta-feira (27) uma plataforma para ajudar usuários a identificarem casos suspeitos do novo coronavírus.

Com foco em cidadãos americanos, a ferramenta pode ser acessada por meio do site da empresa ou pelo aplicativo “Apple Covid-19“. A iniciativa é resultado de uma parceria entre a Apple, a Casa Branca e o Centro de Controle e Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Os testes podem ser feitos tanto para o usuário avaliar a própria saúde ou avaliar a situação de terceiros. Em ambos os casos, o processo envolve uma série de perguntas a respeito de sintomas, doenças crônicas e o possível contato com pacientes confirmados com a doença ou focos de contágio.

De acordo com as informações inseridas, a ferramenta sugere ao internauta acionar o serviço de emergência, procurar orientação médica ou aderir ao isolamento social. Antes mesmo de iniciar a triagem, no entanto, são listados sintomas associados a casos graves de Covid-19 e o usuário é instruído a ligar para emergência nestes casos, seja sobre o próprio ou um terceiro.

O portal ainda conta com conteúdos informativos a respeito das características da doença, métodos de prevenção, dicas para o isolamento social e orientações sobre testes clínicos.

Iniciativas semelhantes

Verily, startup de saúde da Alphabet, apresentou uma iniciativa semelhante a da Apple. No caso da empresa irmã do Google, porém, o objetivo é ajudar cidadãos da Califórnia, nos Estados Unidos, a identificarem se estão com a doença ou devem fazer os testes para Covid-19.

Aqui no Brasil, a startup Axxon Health Tech e a agência de comunicação Pixit desenvolveram um portal que conta com a ajuda de um médico virtual, para orientar usuários sobre a gravidade de sintomas e a necessidade de recorrer a ajuda médica.

Fonte: UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.