Obesidade: o que aumenta o risco? Para afastar a doença, comece diminuindo a ingestão destes alimentos no dia a dia

Amar não é para quem quer, é para quem pode!
8 de janeiro de 2020
LIFTING FACIAL COM FIOS REABSORVIVEIS DE PDO
8 de janeiro de 2020

Obesidade: o que aumenta o risco? Para afastar a doença, comece diminuindo a ingestão destes alimentos no dia a dia

Woman holding donut in hand and check out his body fat with measuring tape

1 – Açúcar refinado
Existem dois tipos de carboidratos: os complexos, que demoram mais para serem digeridos, e os simples, que mal caem no estômago e já se convertem em energia para o corpo. O açúcar refinado faz parte do segundo grupo e não provoca saciedade. “ Ele eleva a glicemia e, por essa razão, acarreta um efeito rebote, causando fome após o consumo”. Explica o nutricionista Gabriel Cairo Nunes.

2 – Álcool
Cachaça não é agua não, inclusive o álcool que ela contém possui muito mais calorias do que os carboidratos, cerca de sete calorias a cada grama. E são poucas as pessoas que computam a cerveja, o vinho ou qualquer outra bebida como algo que pesará na balança.
“ Além disso, o álcool interfere na função do fígado, comprometendo de forma direta a saúde do obeso”. Explica a nutricionista Daniela Jobst. De São Paulo. Por isso mesmo, beba com moderação.

3 – Gordura saturada
Essa gordura não é totalmente perniciosa, mas, quando consumida em excesso, causa aumento do colesterol ruim(LDL), favorecendo o entupimento das artérias. Ela está presente nas carnes (sobretudo as vermelhas), mas oferece um risco maior quando são fritas. Além disso, todas as gorduras são calóricas, então o ideal é priorizar aquelas que aumentam o colesterol bom e contribuem para a saciedade.

4 – Sal de adição
Consumido em excesso, o sódio favorece a retenção de líquidos, aumentando o peso. Mas o grande risco está na hipertensão que ele pode provocar. “ A maior comorbidade entre os obesos”, ressalta Gabriele. O perigo da pressão alta está na forma como ela sobrecarrega o coração, aumentando o risco de infarto e outras doenças cardiovasculares. A grande ameaça do sódio reside no sal de adição, aquele que acrescentamos no prato depois de pronto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.