Mosquitos ‘antivírus’ eliminam dengue em cidade na Austrália

Uma cidade australiana conseguiu eliminar 100% dos casos de dengue na região com a ajuda de mosquitos geneticamente modificados. O experimento foi iniciado em Townsville ainda em 2014 e, até 2017, apenas 54 pessoas foram infectadas com a doença. Em 2018, o número foi zerado. A informação foi relatada em reportagem da New Scientist.

A técnica usada na Austrália é a mesma que foi aplicada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Rio de Janeiro, há cerca de um ano. Cientistas infectaram 4 milhões de mosquitos com uma bactéria chamada Wolbachia, que reduz a proliferação do vírus da dengue e eficácia da picada.

Essa variedade contaminada foi, então, solta na cidade australiana no decorrer de dois anos. Seus exemplares começaram a se relacionar com os mosquitos normais, passando a bactéria para novas gerações de Aedes aegypti até livrá-la completamente do vírus.

Por aqui, o experimento ainda está no começo. A Fiocruz liberou os primeiros mosquitos com a bactéria no Rio de Janeiro apenas no final de agosto do ano passado, com o objetivo de controlar não apenas a dengue, mas também a zika e a chikungunya.

Dez bairros cariocas foram cobertos até o final do ano passado, e o projeto foi estendido no primeiro semestre deste ano. A ideia da Fiocruz, na época em que começou a liberar os mosquitos, era expandir a “produção” deles, até então limitada a 600 mil insetos por semana.

Check Also

PF prende suspeitos que desviavam dinheiro via sistema eletrônico de bancos

Grupo praticou fraudes em diversos estados, do norte ao sul do país. Estima-se que os …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *