iPhone 11 lidera venda de smartphones em 2020

DIA DAS CRIANÇAS
10 de outubro de 2020
Ministério da Saúde prevê vacinação de 70 milhões de brasileiros até metade de 2021
12 de outubro de 2020

iPhone 11 lidera venda de smartphones em 2020

Apple continua consolidando sua presença no nicho de dispositivos móveis; gigantes asiáticas seguem na frente em termos de fatia de mercado

O ano corrente foi no mínimo atípico para o mercado de forma geral. No segmento de smartphones não poderia ser diferente. O impacto gerado pela pandemia acabou resultando em uma retração de cerca de 20% no varejo, se comparado a 2019. Os números referentes ao segundo trimestre do ano passado mostram que foram colocados à venda mais de 370 milhões de dispositivos. Já em 2020, no mesmo período, esse montante caiu para menos de 295 milhões.

No ranking de fabricantes com a maior fatia de mercado, a Samsung e a chinesa Huawei continuam na frente. Ambas as companhias ocupam, juntas, 40% do segmento de smartphones. Logo atrás, a Apple segue com 13.5%. A Xiaomi, por sua vez, ocupa o quarto lugar com pouco mais de 10% de presença no nicho de dispositivos móveis.

Apple domina as vendas

O dispositivo que se saiu melhor nos seis primeiros meses de 2020 foi o iPhone 11, com uma larga vantagem de quase 40 milhões de unidades vendidas frente ao concorrente mais próximo, o Galaxy A51.

O aparelho da Samsung é o segundo mais vendido com 11,4 milhões de unidades, seguido por dois dispositivos da Xiaomi: o Redmi Note 8 e o Note 8 Pro, ambos com 11 e 10,2 milhões de vendas, respectivamente.

A sólida presença da Maçã nas vendas de smartphones continua no restante do portfólio de dispositivos da marca. Se combinarmos os números do iPhone SE (2020)XR11 Pro Max e 11 Pro, temos mais de 31 milhões de aparelhos vendidos. Em conjunto com o iPhone 11, a companhia comercializou mais de 70 milhões de aparelhos até aqui.

Efeitos da pandemia

freio econômico e as incertezas geradas pela pandemia foram fatores cruciais para a queda no número de dispositivos nas prateleiras. Gigantes como a Samsung e a própria Huawei optaram por reduzir a produção de aparelhos.

No caso da Huawei, a queda foi de 7 milhões de dispositivos frente aos 58 milhões ofertados no segundo trimestre de 2019. A Samsung já vinha em um cenário de queda desde o início de 2020, a gigante sul-coreana colocou 75 milhões de aparelhos no mercado no segundo trimestre de 2019. Já nos quatro primeiros meses de 2020, esse número caiu para 60 milhões de dispositivos.

Das três primeiras colocadas do ranking, a Maçã foi a menos afetada pela crise. A Apple manteve o ritmo de produção do segundo trimestre de 2019. A empresa colocou 38,3 milhões de iPhones no mercado no segundo quarto de 2020, uma queda de apenas 200 mil dispositivos ofertados, se comparado ao mesmo período de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.