domingo , 17 dezembro 2017
Últimas

DESENVOLVIMENTO DA ÉTICA

Ética sempre foi um bom assunto a ser discutido. Porém, quando tudo vai bem, tendemos a esquecer do assunto. A crise econômica e moral do nosso país, tornou novamente a ética visível.tica sempre foi um bom assunto a ser discutido. Porém, quando tudo vai bem, tendemos a esquecer do assunto. A crise econômica e moral do nosso país, tornou novamente a ética visível.Ética é um conceito da filosofia moral. É o critério que as pessoas usam para fazer suas escolhas. No “Discurso sobre A Origem da Desigualdade” – Jean-Jacques Rousseau diz que esse assunto é meramente humano. Não é assunto para os animais, pois eles vivem pelo instinto. Quem pode escolher (por isso, exceder o instinto), é o homem (mulher).Já, a Partir de Platão e Aristóteles, pensava-se sobre o assunto. A ética grega fundamentava-se na busca da felicidade. Em contrapartida, para o judaísmo, naquela mesma época, a ética fundamentava-se na obediência dos mandamentos de Deus.

Para ambos, o mundo era ordenado. Cada coisa dentro do universo tinha o seu devido lugar. Não estava por ali por acaso. Cada coisa tinha uma finalidade a cumprir. Sendo assim, essa ética é uma ética de ajuste. O mundo era um grande quebra-cabeças onde  a pessoa precisava achar o seu lugar. Se não achasse esse lugar, viveria mal e faria mal para o mundo.Já para a FILOSOFIA MODERNA, após as descobertas de várias teorias científicas que supostamente apontavam para um universo não ordenado, onde tudo é caos, acabou-se o quebra-cabeças e você não é mais uma peça natural do mundo.

O Teocentrismo (Deus no centro de tudo) deu lugar ao Humanismo (homem é o centro de tudo).Com isso, tem-se hoje duas formas de pensar – a forma antiga, onde tudo tem um propósito, e a – forma moderna, onde tudo está ao acaso.Uma ética construída sobre o acaso, cria pessoas como Florentino Maquiavel (Séc XVI), o fundador do pragmatismo, quando dizia que: “age bem aquele que aumenta o próprio poder”. Se tudo está ao acaso, as situações precisam conspirar em meu benefício. Não é certo e o errado, pois no acaso não há certo e errado – há o que dá certo e o que dá errado. Então, luto pra fazer dar certo na minha vida. Essa é a ética religiosa (onde líderes ateus negociam por dinheiro a palavra de Deus), a ética política (onde líderes armam esquemas de corrupção pensando somente em perpetuar-se no poder), a ética familiar (onde as separações aumentam gradativamente, pois os envolvidos não se sentem mais felizes), a ética do trabalho (onde eu, conquanto patrão exploro o empregado, conquanto empregado, no máximo, cumpro meus horários), a ética das relações interpessoais (onde preciso sempre levar vantagem) e etc… Quando o mundo gira em torno do acaso, Maquiavel galopa no coração da humanidade.

É claro que a ética humanista tem se desenvolvido, mas de longe aponta alguma resposta para o ser humano. Agora, se tudo tem um propósito, quero mostrar o que penso ser a resposta para o dilema da ética atual. Quando li sobre a ética da responsabilidade (de Dietrich Bonhoeffer – teólogo alemão morto por Hitler na segunda guerra mundial, por não concordar com o sistema), fiquei maravilhado com a simplicidade e o enfoque sobre o assunto. Para Bonhoeffer, o mundo é ordenado, criado por Deus e todos tem um papel a cumprir. Para cumprirmos bem nosso papel, com responsabilidade, precisamos olhar para Jesus. Ele é o nosso modelo de ética em todas as coisas, pois Jesus sempre viveu para o outro – para o próximo. Uma ética não egoísta é a salvação do mundo para Bonhoeffer.

Também creio nisso. Diante desse mundo absolutamente perdido  cuja ética se baseia em Maquiavel e seus derivados, devemos olhar para Jesus, um coração altruísta, que não pensava primeiro em si, mas em servir a Deus e ao próximo. Se você crê que há um Deus, se você crê no propósito da vida, não passe por esta vida sem abraçar a ética cristã – que é a escolha de ser bênção onde quer que você esteja. Escolha servir, e não servir-se do próximo, de Deus e do mundo. Como disse Mahatma Gandhi: “Eu sou a transformação que este mundo precisa”. Que Deus nos ajude!

Arnildo KlumbPastor da Igreja Presbiteriana de Campo MourãoPresidente da OPECAM (Ordem dos Pastores Evangélicos de Campo Mourão).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*