Chefe da Nasa declara Plutão como planeta novamente

Série documental da Netflix sobre vida de Bill Gates ganha trailer
29 de agosto de 2019
Xiaomi anuncia a Redmi TV 4K HDR de 70 polegadas que custa R$ 2.200
29 de agosto de 2019

Chefe da Nasa declara Plutão como planeta novamente

Jim Bridenstine, no entanto, não é autoridade científica no assunto

Há alguns anos, especificamente em 2006, escolas do mundo inteiro precisaram atualizar seus livros de ciência para se adaptar a um novo consenso no mundo da astronomia: Plutão, até então nono planeta do sistema solar, perdeu esse status e passou a ser considerado um planeta anão. O novo consenso científico, no entanto, não significa nada para Jim Bridenstine, diretor da Nasa, que afirma que Plutão é, sim, um planeta.

Em declaração feita a jornalistas durante um tour na Universidade do Colorado, Bridenstine deixou claro sua opinião sobre o assunto. “Apenas para vocês saberem, na minha visão Plutão é um planeta. Vocês podem escrever que o administrador da Nasa declarou que Plutão é um planeta novamente. Eu mantenho isso: é a forma como eu aprendi e eu estou comprometido com isso”, afirmou.

O problema dessa história é que Bridenstine não tem qualquer histórico na ciência. Tradicionalmente, chefes da Nasa são pessoas com carreira de excelência em engenharia ou no setor militar, mas Jim Bridenstine é um ex-congressista ex-piloto da Marinha e foi colocado no cargo por indicação de Donald Trump em 2017.

É ou não é planeta?

Em 2006, quando a União Astronômica Internacional redefiniu o conceito de “planeta”. O motivo para isso é porque até então, a classificação estava pouco clara e qualquer objeto poderia ser definido como tal. O resultado dessa definição foi que Plutão passou a ser um planeta anão. O motivo é porque ele não obedece as três regras necessárias para se enquadrar nessa categoria:

  1. O objeto precisa orbitar o Sol;
  2. Ele deve alcançar o equilíbrio hidrostático (ele precisa ser esférico pela sua própria gravidade)
  3. Precisa “limpar sua vizinhança” (ter gravidade forte o bastante para não compartilhar sua órbita com outros objetos, que seriam atraídos para si)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.