sábado , 22 setembro 2018
Últimas

BEM VINDO À ÁFRICA DE MIL ENCANTOS!

Com minhas duas filhas morando no Continente Africano, ficou mais fácil viajar para lá.
E foi o que fiz agora nos meses de maio e junho.
Primeira parada em Angola, em um voo de oito horas partindo de São Paulo pela TAAG.
Já havia estado lá em 2010 e depois desse tempo, pude encontrar uma Luanda muito mais bonita e em constante crescimento.
Se da outra feita fui ver animais em safaris, dessa vez minha visita foi mais cultural.
Visitei museus, fortalezas, memorial, feiras e comi a comida típica do povo de lá.
No MAAN, MEMORIAL ANTONIO AGOSTINHO NETO, pude notar a verdadeira adoração do povo a ele que foi o primeiro presidente e líder da luta pela libertação de Angola; um homem de cultura e defensor da arte.
Ali estão seus restos mortais em um monumento majestoso, com vitrais lindíssimos, paredes e pisos em mármore, esculturas e objetos pertencentes a ele.
Aliás, não é à toa que a moeda do país, KWANZA, tenha estampada em todas as cédulas, seu rosto.

Em outra visita pude conhecer a FORTALEZA DE SÃO MIGUEL que hoje abriga o MUSEU DAS FORÇAS ARMADAS.
Portugal governou Angola por mais de 400 anos até sua independência em 1975.
Foram quase 30 anos de guerra civil e mais homenagens ao libertador!
As salas são decoradas com azulejos portugueses e tudo é conservado com total limpeza e cuidado.
As FEIRAS DE ARTESANATO são um capítulo à parte…
São encantadoras as esculturas em madeira, são coloridas e alegres as estampas de seus tecidos, são irresistíveis os seus colares, turbantes e adereços.

A comida típica consiste em um pirão feito de farinha de mandioca ou de milho, de nome FUNGE; do CALULU, uma mistura cozida de peixe, quiabo, berinjela, gimboa (uma espécie de couve), tomate, cebola, alho e óleo de palma; e FEIJÃO DE PALMA, que é um feijão branco cozido com temperos e óleo de palma, que vem a ser o nosso azeite de dendê.
O único local que fiz questão de retornar dessa vez, foi o MIRADOURO DA LUA, uma maravilha da natureza, onde a erosão provocada por ventos e chuvas, criou uma paisagem lunar cheia de abismos e desfiladeiros.
E os BAOBÁS?
Também chamados de embondeiros, essas árvores magníficas são vistas por todo lado.
Claro que me lembrei muitas vezes do Pequeno Príncipe!!!

Agora, o que dizer do povo angolano?
São extremamente alegres, trabalhadores, respeitosos, donos de uma capacidade incrível de em tudo soltar a voz num canto grave e cheio de ginga, numa dança que contagia!
Mas já estava na hora de conhecer outro país, e lá fui eu para CAPE TOWN, na África do Sul, quatro horas de voo, novamente pela TAAG.
Saí dos 27ºde Luanda com tempo sequíssimo para chegar com 12°, vento, garoa e uma sensação térmica de 6°.
Foi minha primeira vez nessa cidade e estava ansiosa para conhecê-la.
Realmente, tudo que ouvi até hoje sobre ela é mais que verdadeiro!

Cultura, música, hotéis deslumbrantes, restaurantes sofisticados, lojas e mais lojas, praias, montanhas, um paraíso para turistas de todo o mundo que chegam para abraçar “a Cidade Mãe” como é conhecida.
Foi ocupada pelos holandeses e depois pelo Reino Unido e a língua oficial é o inglês.
Desde o primeiro dia pensei em conhecer o mais possível de tudo que ela oferece, mas… uma semana foi muito pouco!
Claro que comecei pela NATIONAL LIBRARY OF SOUTH AFRICA, que está comemorando seus 200 anos nesse ano de 2018.
Meu lado escritora ficou como que anestesiado com tudo que vi ali!
Outro passeio inesquecível foi a ida em ônibus turísticos até a KIRSTENBOSCH NATIONAL BOTANICAL GARDEN, o mais bonito jardim da África.
São mais de 7.000 variedades de plantas, inclusive raras e ameaçadas.
Um lugar inspirador!
Passamos pelo Hospital GrootChuur onde o Dr. Christiaan Barnard realizou o primeiro transplante de coração do mundo e depois pelo
… Cape Town Stadium, sede da Copa do Mundo em 2010.
E o ônibus me levou até a VINÍCOLA CONSTANTIA, a mais antiga do país, onde se pode (e eu pude) degustar cinco vinhos, harmonizados com chocolates e ainda ganhar uma taça de presente! Sim, isso já devia estar incluído no preço do ingresso…

Mas foi sensacional!
Outro lugar que aproveitei para conhecer, foi o TWO OCEANS AQUARIUM, onde tubarões, peixes coloridos, tartarugas, arraias e pinguins nadam nesse aquário.
Infelizmente devido ao mau tempo, não pude fazer o passeio até a Ilha de Robben Island, onde NELSON MANDELA ficou preso.
Ele também é reverenciado por todos e sua imagem está estampada nas cédulas do HAND, a moeda oficial do país.
Dali peguei o barco, CANAL CRUISE, que segue por um canal margeando toda a WATERFRONT, que é a parte mais charmosa de toda a cidade.
Maravilha!!!
Como explicar a magia e o encantamento desse lugar, onde há música ecoando nas vozes graves dos africanos, onde em cada curva você se depara com algo deslumbrante, onde a brisa do mar mexe com seus cabelos e sentidos, onde você repete baixinho o mantra “quero voltar”?
Além dela, LIONS HEAD e SIGNAL HILL, formam um conjunto mais do que harmonioso, cercando como um abraço carinhoso essa cidade linda!
Se quero voltar?
Sim, ainda muitas e muitas vezes!!!

*Silvia Novaes Fernandes é escritora e poeta, formada em Letras, membro da AME de Campo Mourão e possui um blog: http://www.prosapoemapastel.wordpress
*Fotos: Acervo de Fabiane Prohmann, jornalista e de Sawabona.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*