quarta-feira , 17 outubro 2018
Últimas

Após diretor assumir casos de assédio, lançamento de Super Size Me 2 é cancelado

“Eu sou parte do problema”, disse o documentarista Morgan Spurlock, que revelou que assediou uma colega de trabalho e foi acusado de estupro quando estava na faculdade.

O documentário Super Size Me 2: Holy Chicken! não será mais distribuído online pela plataforma YouTube Red. O longa-metragem dirigido, roteirizado e estrelado por Morgan Spurlock é uma sequência de Super Size Me – A Dieta do Palhaço (2004), filme premiado em Sundance e indicado ao Oscar. A medida do YouTube foi tomada após o realizador admitir que cometeu assédio sexual e que “faz parte do problema”.

“Nós sentimos muito por todas as mulheres impactadas pelos pronunciamentos recentes feitos por Morgan Spurlock”, afirmou uma porta-voz do site de compartilhamento de vídeos na última sexta-feira (15). “À luz desta situação, nós decidimos não distribuir Super Size Me 2 no YouTube Red”, completou.

A companhia que pertence ao Google comprou os direitos do mais recente filme de Spurlock por US$ 3,5 milhões após o documentário ter sua première mundial no Festival Internacional de Cinema de Toronto. A empresa planejava lançar o filme online em 2018, na plataforma paga de streaming do popular site.

Na quarta-feira (13) da última semana, o documentarista revelou em seu perfil no Twitter que, durante seus anos na faculdade foi acusado de estupro por uma mulher quando estava na faculdade, que cometeu assédio sexual contra uma assistente com quem trabalhava em 2009 e traiu todas as suas esposas e namoradas na vida.

“Enquanto eu vejo heróis e mais heróis, homens e mais homens sucumbirem às suas indiscrições do passado eu não penso em quem será o próximo, eu me pergunto quando irão vir atrás de mim”, disse Spurlock. O diretor assumiu que “desumanizou” mulheres, as “depreciou” e que chegou a realizar um acordo financeiro com sua colega de trabalha assediada verbalmente por ele para que ela mantivesse o silêncio. “Eu não sou um espectador inocente, eu sou parte do problema.”

Pouco depois da mea culpa do realizador, foi anunciado que o diretor iria deixar sua produtora, a Warrior Poets. Em seguida, foi noticiado que Spurlock foi cortado do documentário The Devil We Know, de Stephanie Soechtig, que será exibido em janeiro de 2018 no Festival de Sundance.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*